Buscar
  • Filipe Lúcio

GAMIFICAÇÃO DOS MÉTODOS EDUCACIONAIS, O FIM OU O INÍCIO?

Até os anos 2000 eram escassos e difícil o acesso a computadores pessoais, principalmente no Brasil devido aos custos elevados dos equipamentos que eram importados. Naquela época as escolas basicamente utilizavam um quadro de giz aliado aos livros e cadernos.



Tecnologia na educação

Com o avanço da tecnologia e a sua popularização com a produção em escala mundial que reduziu significativamente os preços dos equipamentos eletrônicos. Somando-se a isso a telecomunicação viu uma revolução acontecer com a Internet e os smartphones, que conseguiram popularizar aquilo que poucos abastados financeiramente podiam possuir, hoje qualquer criança que já consiga esticar o dedo e tocar em uma tela de forma repetitiva, utiliza um celular ou tablet.Junto a todas essas mudanças promovidas pelo desenvolvimento tecnológico, vimos as crianças trocarem a bola e boneca por vídeo games depois computadores e finalmente por smartphones.


As escolas foram implantando a tecnologia em suas estruturas através de laboratórios e aulas de informática

Contudo, isso não foi suficiente, os estudos demonstram que o principal desafio da educação do século XXI é manter a atenção e reter o conhecimento do aluno, por isso é preciso modernizar ainda mais os processos pedagógicos.

Não é só ter e usar o equipamento, mas o que tem se mostrado mais eficiente está dentro da máquina, o software, um estudo da Universidade de Copenhagen evidenciou que os métodos educacionais que utilizam jogos digitais obtiveram 63% a mais de assimilação do conteúdo exposto.


Em escolas de Santiago do Chile, constatou-se uma redução na evasão escolar de 46% e os alunos que tiveram a experiência de uma inclusão digital com utilização de games educativos demonstraram uma capacidade de memorização e raciocínio lógico acima das outras crianças que estudavam pelos métodos tradicionais.


Por outro lado a indústria dos games tem crescido como nunca se viu na história, o Brasil é 13º maior mercado de games do mundo, mas, se as projeções forem confirmadas, deverá estar entre os 10 primeiros no futuro próximo.

A liderança global é dos Estados Unidos, responsável por um mercado estimado em US$ 37 bilhões. A China, segunda colocada no ranking, chegou a ameaçar a primazia americana, mas problemas relacionados à liberação de licenças de novos títulos comprometeram os resultados do país.


Os jogos aliados a educação

Nesse cenário de tanta possibilidade de crescimento econômico, sem dúvida alguma, os jogos digitais que já estão nas rotinas das crianças e até de muitos adultos, terão um espaço gigantesco nas áreas educacionais.

Jogos como Minecraft, Roblox, Block Craft 3d entre outros, são sucesso nos celulares e computadores das crianças, e em pesquisa da Universidade de Sidney, os pais confirmam que se estimulam seus filhos a jogarem esse tipo de jogos pois veem nesse conteúdo uma possibilidade de desenvolvimento cognitivo, raciocínio lógico e criatividade além de reconhecer uma sociabilização entre seus filhos e os amigos que passam horas jogando e conversando sobre os mais diversos assuntos.


Por fim, é notório que os jogos digitais são um grande desafio para a pedagogia, encontrar um equilíbrio entre a educação e a diversão, da vida real e virtual, mas sem dúvidas a utilização de ferramentas tecnológicas em todas as áreas da vida contemporânea é um caminho sem volta, ficando evidente que a educação tradicional precisa se renovar e se adaptar a um mundo digital, de blocos, cores e avatares.




338 visualizações

© 2018-2020 por Filipe Lúcio de Andrade